Dash: entenda como funciona o dinheiro digital

Dash é uma moeda digital, também conhecida pelo nome original em Inglês Digital Cash que serve para realizar pagamentos de maneira instantânea mantendo a sua privacidade e segurança da transação através de codificação (criptogragfia).

Imagino que você nunca tenha usado Dash para comprar um cafézinho ou para pagar sua conta de celular, certo? Então você sabe que não é algo tão comum, mas quer aprender como essa moeda digital funciona e como pode se beneficiar dela.

Então você esta no lugar certo, pois até o final desse artigo além de entender o que é Dash você irá aprender como é o mecanismo de funcionamento do blockchain.

O criador da criptomoeda Dash

Evan Duffield é um americano desenvolvedor de software que já trabalhou para grandes bancos como o Wells Fargo. Atualmente trabalhar em sua própria empresa Hawk Financial Group e está à frente do projeto da criptomoeda Dash.

Evan acredita que pode melhorar o que o movimento do Bitcoin iniciou e fazer do Dash a melhor moeda digital.

Dash é dinheiro digital

A maneira mais fácil de entender o que é e como funciona o Dash é comparar com o serviço de email que você conhece muito bem e usa praticamente sem pensar.

Vamos começar fazendo uma comparação para simplificar o entendimento de todo o processo de envio e recebimento de algo que é 100% digital e circula pela Internet.

Imagine que pudesse enviar um email para alguém para fazer o pagamento de algo que comprou, como um celular por exemplo. Você enviaria um arquivo anexo que tem o valor de  R$1.000,00 e a loja ao receber seu arquivo anexo te enviaria o produto.

Esse é um exemplo de dinheiro digital, certo ? Enviado pela Internet sem ter que ir fisicamente ao local, sem ter que depender de bancos ou serviços como o PayPal.

Porém o problema é que sendo algo digital, você poderia utilizar o famoso recurso de copiar e colar e reproduzir um monte de cópias desse dinheiro digital e sair enviando para todo mundo.

Obviamente essa possibilidade traria um caos total para o mundo deixanda todos ricos e capazes de ter sua fonte ilimitada de dinheiro digital no computador.

É ai que está “o pulo do gato”, Dash é dinheiro digital que não pode ser copiado.

Vamos ver agora como seria o processo de transferir Dash. É algo simples porém você não pode transferir dinheiro mais de uma vez para diferentes pessoas.

Transferindo e usando Dash

Para usar Dash você simplesmente executa os seguintes passos:

  1. Baixar um software de carteira digital
  2. Preencher o endereço do destinatário
  3. Preencher o valor que deseja transferir
  4. Pressionar o botão enviar

O endereço para transferência é como uma conta bancária, você pode enviar para as pessoas sem se preocupar, pois ela serve apenas para receber dinheiro. 

Esse endereço é uma sequência alfa numérica que fica armazenada no seu App, não é necessário memorizar nada. Veja a seguir um exemplo do endereço:

Xp5af7nvdDTornWVef2emciVeW1XNBPjxK 

Dash não pode ser copiado

Copiar dinheiro digital traria um caos total, pois todos poderiam fazer isso e teriam uma fonte infinita de dinheiro e poderiam tirar férias eternas sentados numa praia.

Mas com o dinheiro digital Dash é diferente, você não pode copiá-lo assim como não pode copiar outras moedas digitais como o Bitcoin, que foi o pioneiro nesse sentido. 

O desenvolvimento de códigos avançados permitiram criar uma maneira de impedir a cópia de algo que existe virtualmente, isso é feito através de registros da quantidade de dinheiro digital que cada pessoa ou empresa possui em um livro contábil virtual.

O uso de ledger (livro contábil)

Então se você tem uma quantidade de dinheiro digital registrado num livro contábil é possível controlar seus créditos e débitos, ou seja, quando você envia dinheiro digital para alguém é debitado da sua conta, quando você recebe é creditado na sua conta.

Mas ai você pensa um pouco e me fala: “mais isso já existe, com bancos e sistemas de pagamentos como PayPal e outros mais“. Sim, você tem razão, mas quem controla o livro contábil (ledger) são os bancos ou empresas como o PayPal.

Esse livro contábil é conhecido mundialmente como ledger e cada banco possui sua própria versão de ledger. Você está amarrado a usar esses bancos e sistemas intermediários para enviar dinheiro e realizar suas transações financeiras. 

Pois bem, o dinheiro digital Dash também usa ledger e pode controlar as transações sem depender dos bancos para atualizar os seus valores de débitos e créditos.

Esse controle e atualizações da ledger é feito dentro do blockchain

Como Dash usa o blockchain

Se você ainda não leu sobre o que é blockchain e quer saber mais a respeito, pode encontrar informações em nosso guia definitivo gratuito, clicando aqui. Mas em todo o caso, irei explicar de maneira simplificada como o Dash faz uso dessa tecnologia.

Todas as transações que são realizadas entre as pessoas são gravadas na Ledger, veja no exemplo abaixo como “A” envia um valor para “B” que envia outro valor para “C” e assim por diante. Tudo é registrado corretamente por computadores. 

As transações ocorrem o tempo todo e são armazendas nas ledgers agrupadas em blocos conforme vão sendo atualizadas. A cada atualização há o registro dos valores transacionados e do momento exato que elas ocorreram através de timestamp.

Veja a imagem a seguir, os valores das transações data/hora são registrados na ledger e agrupados em blocos formando um conjunto que é a blockchain

Obviamente esse é um exemplo illustrativo do processo somente para que possa entender do conceito, o importante é saber que tudo está sendo registrado. 

As informações são públicas

Tudo que está registrado no blockchain pode ser acessado publicamente, isso faz com que o sistema seja completamente transparente e seguro porque não há como ocultar ou “maquiar” informações como pode acontecer com ledger privadas.

Quando digo pública, quero dizer que você e qualquer outra pessoa pode ter acesso a todas as transações simplesmente acessando uma página na Internet.

Sua identidade está protegida

Esse é o momento que você pode estar entrando em pânico imaginando que todos irão ver suas transações, saber qual é sua identidade e quanto dinheiro existe na sua carteira recheada de Dash. Calma porque não é assim que funciona.

Não há motivo para pânico pois as transações somente mostram os números que representam as carteiras mas não o seu nome, sua identidade está protegida.

Quem atualiza o blockchain ?

Huuum, interessante ter as ledger registrando as transações de todos com valores e datas, mas ai você pergunta: “Quem é que atualiza as ledgers no blockchain?”. 

Os mineradores são responsáveis pela atualização da blockchain, seja na plataforma para transações com Bitcoin, Dash, Ethereum ou qualquer outra altcoin, são eles, os mineradores que estão realizando o processamento das transações na rede.

Vou explicar o básico de mineração nesse artigo, mas se quiser entender o assunto em detalhes leia o artigo: Mineração de Bitcoin, entenda como funciona.  

Dash e os mineradores do blockchain

Imagine pessoas na Rússia, outra no Japão, Austrália, Brasil, EUA ou qualquer outro lugar do mundo. Em seus computadores h;a um software que faz a conexão em uma rede na Internet para o processar transações do Dash. Eles são os mineradores.

Isso quer dizer que você que está lendo esse artigo pode ter um computador em casa com esse software e também ser um minerador de Dash? Sim, exatamente!

Mineradores estão espalhados por todo o mundo trabalhando em conjunto, é um tipo de processamento distribuído, não há um servidor central como de um banco.

Cada minerador tem uma cópia do blockchain e quando há novas transações esses blockchains devem ser atualizados para manter a mesma informação corretamente.

É por isso que o blockchain é seguro, se cair um ou dois ou dez computadores da rede, o sistema ainda continua funcionando e com a vantagem de ter maior capacidade de processamento que qualquer sistema bancário existente.

Consensus na blockchain

Já ouviu essa palavra antes? Pois é, fique tranquilo pois não é nada complicado.

Consensus é o termo utilizado para o estado em que todos, ou a maioria dos mineradores na rede entram em acordo sobre a versão correta do blockchain. 

Não pode haver uma versão do blockchain com valores diferentes dos demais, como o sistema está distribuído é necessário sempre haver essa verificação para que cada minerador (também conhecido como nó da rede) tenha a mesma informação.

Proof of work (prova de trabalho)

Para manter o consensus, é necessário utilizar algo chamado Proof of work, onde um único minerador irá ganhar o direito de verificar o novo bloco que deve ser agregado ao blockchain e fazer o brodacast (espalhar a informação) para os demais.

Mas como o minerador faz essa “prova de trabalho” ? Simples, ele tem que competir com os demais resolvendo um problema matemático que aumenta de dificuldade quando a quantidade de mineradores na rede do blockchain aumenta.

Um novo problema matemático é gerado resolvido pelos mineradores em poucos minutos, dessa forma o “proof of work” se repete dentro da rede do blockchain e dá o direitos de novos mineradores atualizarem a ledger e ganhar uma recompensa.

Essa recompensa vem no formato de moeda digital, que nesse caso é o Dash, ou seja, novas moedas são geradas na rede para pagar o computador que resolveu o problema e ela ganha o direito de criar um novo bloco e agregá-lo ao blockchain. 

É por isso que esse processo foi batizado de mineração, pois cada vez que ocorre a “prova de trabalho” a ledger é atualizada e uma nova moeda (Dash) é gerada.

Então o blockchain mantém a informação de cada transação que foi realizada, a hora em que o bloco foi publicado e o total de moedas existentes, incluindo as novas moedas que foram geradas na mineração para recompensa do minerador.

Sistema aberto e honesto 

O dinheiro gerado, transacionado e gravado no blockchain é considerado honesto e aberto a visualização por qualquer pessoa, além do fato da inflação (novas moedas criadas) serem transparentes e previsíveis dentro da rede do blockchain.   

A criptografia do blockchain

As transações realizadas no blockchain são criptogradas (codificadas) e dessa forma protegidas contra qualquer tipo de ataque ou adulteração das informações.

Para trabalhar com criptografia existe um conceito de uso de chaves que devem utilizadas em pares que trabalhar através de algo chamado assinatura digital.

Para transações com dinheiro digital como o Dash é necessário 2 coisas: 

1. Chave pública

É uma chave formada por letras e números (alfanumérica) que representa o endereço da sua carteira, algo similar ao seu número de conta bancária para depósito.

Xp5af7nvdDTornWVef2emciVeW1XNBPjxK 

Exemplo de chave pública

2. Chave privada

Também formada por caracteres alfanuméricos, ela representa a chave com a qual você assina uma transação, como a sua senha bancária para movimentar a conta. 

2b5bg10i18ud8YYYYYYYY6d18742dca1c3b789YYYYYY4d1346787987a

Exemplo fictício de chave privada

A chave pública pode ser divulgada tranquilamente pois é através dela que se pode receber transferências de dinheiro digital, ao passo que a chave privada deve ser protegida e nunca divulgada pois é com ela que as transações são autorizadas.

Assinatura e broadcast no blockchain

Quando você utiliza sua carteira digital através de um App no celular ou software no computador, informa o endereço de destino (chave pública do recepiente), o valor que deseja transferir e aperta “Enviar”, a chave privada que está na sua carteira assina a transição antes de fazer o broacast (anúncio) para todos na rede do blockchain.

É por isso que você deve guardar sua chave pública bem protegida, sem ela você não tem acesso às suas moedas digitais ela acaber nas mãos de terceiros eles poderão acessar seus fundos e gastar tudo o que você tem armazenado em Dash.

Esse procedimento de trabalhar com criptografia e assinatura digital utilizando chaves privadas é possível através de funções hash que você ouvirá falar a respeito.

Dash: Dinheiro como serviço

O conceito da comunidade que suporta o Dash é que o dinheiro funcione commo um serviço e possa atender as necessidades e mudanças de demanda no mercado.

Na visão deles é necessário financiar as pessoas que são responsáveis pela criação e manutenção dessa tecnologia que permite a existência do dinheiro digital.

Dash e a organização descentralizada

Através das chamadas DAO (Decentralized Autonomous Organization) seria possível pagar voluntários no mundo inteiro para trabalhar com o desenvolvimento do Dash.  

A DAO serve para tomar decisões importantes sobre o desenvolvimento da moeda digital e também para gerenciar os recursos financeiros para custear o projeto.

Diferente de outras moedas digitais como o Bitcoin, no blockchain da Dash há uma divisão da recompensa entre: MinersMasternodes e Treasury:

Miners

Os mineradores que como já vimos participam no processo de atualizar as ledgers no blockchain ficam com 45% da recompensa através da geração de novas Dashes e recursos advindos das taxas de transações do uso da moeda em todo o mundo. 

Masternodes

Os masternodes são os “nós mestres” responsáveis pela tomada de decisão e para ser um masternode é preciso possuir 1.000 Dashes o que o capacita a tomar boas decisões que geram lucros, ao invés de tomar decisões ruins e perder dinheiro.

Esses masternodes tomam decisões e chegam a um acordo comum entre mudanças que devem ser feitas na rede e na programação ou regras através de votos.

Para direito de votos  é necessário que o masternode cumpra 3 tarefas: 

  • Manter uma cópia atualizada da blockchain
  • Fornecer a funcionalidade de “Instant Send” *
  • Fornecer a funcionalidade de “Private Send” *

* Veja detalhes sobre essa funcionalidade mais adiante nesse artigo

Treasury (tesouraria)

Parte do dinheiro que é utilizado para pagar todos os custos relativos àos serviços relacionados à programação, palestras, documentação, tradução, vídeos, feiras, etc que são necessários para que o Dash possa funcionar como dinheiro digital.

Instant send e Private send

De acordo com a comunidade, as funcionalidades de “instant send” e “private send” diferenciam o blockchain do Dash de todos os demais blockchains.

A funcionalidade instant send visa diminuir a velocidade das transações de compra e venda a apenas alguns segundos fazendo com seja uma moeda digital rápida.

Private send permite que a privacidade de quem realiza as transações seja mantida.

Para entender melhor essas funcionalidades vamos discutir qual é o problema causado pelas redes de blockhais “rivais” do Dash e como isso pode ser resolvido.

O problema de transações lentas

Para realizar as transações com moedas digitais é necessário ter as confirmações no blockchain que podem demorar muito como acontece com o Bitcoin por exemplo.

Na rede de blockchain do Bitcon as transações levam atualmente de 10 minutos a várias horas para serem confirmadas, isso inviabiliza o uso dessa moeda digital. 

Imagine uma situação prática onde você está na fila do caixa de um supermercado e cada uma das 5 pessoas na sua frente quer pagar em Bitcoins. Se o tempo de cada confirmação de transação for de 10 minutos, você ficaria quase 1 hora na fila.

A solução com confirmações rápidas

Para ser uma moeda digital, ou dinheiro digital como o Dash é chamando, o tempo de transação deve ser pequeno para que seja possível por exemplo comprar um café e pagar rapidamente como é feito com um cartão de crédito, débito ou dinheiro vivo.

A funcionalidade de “instant send” do Dash permite que a confirmação de transação seja realizada em apenas 1.3 segundos que é o tempo ideal para o mundo real.

O problema da privacidade nas transações

Lembra-se que para receber dinheiro digital é necessário informar qual é a sua chave privada, exatamente como você faz com a sua conta bancária para depósito ?

Mesmo que a chave pública não mostre seu nome mas mas sim uma sequência de caractereres alfanúmericos, ainda assim é possivel saber que ela pertence a você, pois em algum momento você passou para alguém que pode fazer essa relação. 

Em uma rede tradicional de blockchains como o Bitcoin é possível seguir quais são as transações realizadas entre essas chaves públicas, ou seja, rastrear de volta qual é o caminho de cada uma das transações realizadas até chegar à sua origem.

Esse modelo não é igual ao do dinheiro vivo, onde não é possível rastrear quem passou dinheiro de mãos ou como no modelo de cartão de crédito, onde a operadora pode rastrear o uso do cartão mas a informação não está disponível publicamente.

A solução com privacidade no envio

A funcionalidade de “Private Send” (envio privado) do Dash permite que a privacidade seja mantida através do recurso de trocas intermediárias, ou seja, antes de chegar ao destino final as moedas são trocadas com outros usuários na rede do blochchain.

Dash é melhor que outras altcoins?

A comunidade que suporta o Dash acredita que sim. Segundo eles, Dash seria uma forma de dinheiro digital (digital cash) que está mais adaptado à realidade para ser utilizado em situações reais do dia a dia com pagar por um almoço ou cafezinho.

Com essa divisão de recompensa na blockchain é possível custear o progresso desse dinheiro digital e fazer com que ele fique cada vez melhor para ser utilizado com a mesma facilidade com que o dinheiro físico em papel é utilizado na prática. 

As funcionalidades de Instant Send e Private Send são promissoras, resta saber se são escaláveis e irão funcionar bem com o crescimento das transações diárias.

O valor do Dash tem crescido muito nos últimos anos, a moeda chegou a dar picos enormes de valorização no início de 2018 e pode vir a ser realmente uma boa opção.

Onde comprar Dash?

Veja abaixo a lista das exchanges onde é possível comprar Dash:

Resumo sobre o Dash

Criado pelo americano Evan Duffield, Dash é uma moeda digital (criptomoeda) que pode ser utilizada para transações mais rápidas que seu rival Bitcon. A comunidade do Dash afirma ter melhorias para os problemas de velocidade e privacidade.

Dash funciona com o mesmo conceito de blockchain para confirmar transações e criar novas moedas através de mineração, porém possui outros elementos na rede como os masternodes e há uma divisão na recompensa pelo trabalho na blockchain.

A moeda chegou na 7ª posição entre as mais importante criptomoedas da atualidade e teve uma valorização expressiva que chegou a ameaçar a liderança do Bitcoin.

Dash possui funções como “instant Send” e “private send’ e está trabalhando em novos recursos os que promotem dar funcionalidades de um banco à moeda.

O futuro do Dash

Continue acompanhando e fique bem atento ao progresso de desenvolvimento e novidades relacionadas a essa moeda digital, especialmente o software Evolution.

A comunidade está muito confiante nas funcionalidades desse software que traz o conceito de implementar a maiorias das funcionalidades encontradas em um banco na maneira como o Dash funciona para fazer com seja usado pelas pessoas.

A comunidade está muito confiante nas funcionalidades desse software que traz o conceito de implementar a maiorias das funcionalidades encontradas em um banco na maneira como o Dash funciona para fazer com seja usado pelas pessoas.

Saiba mais sobre o Dash

Mais informações sobre o desenvolvimento do Dash podem ser encontradas na página oficial em:  https://www.dash.org/

Agora que já conhece um pouco melhor o mercado das criptomoedas, siga o link abaixo e descubra com este conteúdo exclusivo todos os segredos do Bitcoin e como começar a criar rendimentos investindo em Bitcoin:

Ainda sem comentários

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.